Diástase

Nos primeiros dias após o parto movimentar ao se olhar em um espelho a nova mãezinha irá se deparar com um terceiro corpo; um abdômen vazio, pendente e ainda aumentado, com uma pele enrugada… Na medida que ela se move, fala e ri, irá perceber uma falta quase completa de controle dos músculos abdominais. Toda a cinta abdominal estará enfraquecida com muito pouco controle mecânico aparente.

O útero grávido em crescimento não apenas estira os músculos abdominais, como devido á frouxidão da linha alba e dos retos abdominais separados, deixam um espaço de mais ou menos 1 a 3 cm entre os dois ventres do músculo reto abdominal no final da gestação, chamado de diástase.

A involução do útero (após o parto) geralmente termina em cerca de catorze dias, mas os músculos abdominais podem levar seis semanas para retornar ao estado pré-gestacional e seis meses até que a força total retorne (Thomson et al, 1994).

Deve-se mencionar também que os dois músculos reto do abdômen , mesmo quando reabilitados ficarão sempre um tanto separados (cerca de 1,5 a 2 cm) e que o importante é que eles estejam fortes (Polden & Mantle, 2000)

A diastase pode causar dores na região lombar, nádegas, coxas, e uma protuberância no meio do abdômen.

Saiba como diagnosticar diastase.