Mas… O que realmente são as estrias???

As fibras elásticas são os alvos iniciais de formação das estrias, para quem não sabe, encontramos essas fibras na segunda camada da pele e elas são responsáveis por fornecer a pele a capacidade de assumir várias formas sem perder sua integridade.

São elas por exemplo, que permitem que tracionemos nossa pele sem mudar sua forma, e, logo que cedida a pressão, a pele assume novamente ao seu formato original, conferindo a pele elasticidade e flexibilidade.

As estrias são caracterizadas cientificamente como processo degenerativo cutâneo, benigno e caracterizado por lesões atróficas ocorrendo em trajeto linear  e que variam de coloração dependendo da fase evolutiva podendo ser vermelhas ou brancas.

As vermelhas apresentam essa cor por conta do processo inflamatório deixando nítido a circulação capilar da derme subpapilar.

A coloração mais escura, mais violácea depende da associação de componentes microvasculares e do tamanho e atividade dos melanócitos. Em pacientes dos fototipos mais altos (mais morenos), as estrias recentes costumam ser hipercrômicas (mais escuras que a pele).

Estrias-vermelhas-Foto-4

Fonte: http://zisno.org

As estrias brancas são antigas e já ouve a formação de fibroses. Elas tornam-se mais brancas que a pele apresentando semelhança com cicatrizes.

Estrias Brancas 1

Fonte: http://www.saudemedicina.com

Para completar as más notícias elas ainda apresentam caráter de bilateralidade, isto é, existe uma tendência da estria distribuir-se simetricamente em ambos os lados.

Mas o que realmente causa a estria??? Bom, se ela tivesse uma causa bem definida com certeza já saberíamos a cura e como exterminá-las por completo. Como não temos essa resposta, acreditamos em algumas teorias:

1. Mecânica: Estiramento rápido da pele que acontece por exemplo com ganhos rápidos de peso, na adolescência, na gravidez e no famoso  “efeito sanfona”.
2.  Endocrinológicas: Uso de corticóides de forma prolongada e sistêmica (enfraquecem as fibras elásticas da pele), uso de anabolizantes e distúrbios hormonais.
3. Infecciosa (Oi?!): Existem relatos que processos infecciosos causam danos as fibras elásticas ocasionando as estrias. Exemplos: Após hepatite crônica, síndrome de Marfan e outras.
4. Teoria genética: Definida geneticamente como uma pele que tem menor capacidade de distender-se.

A irreversibilidade da estrias também esta comprovada (OW Céus!) através de exames histológicos, que mostram redução no número e volume dos elementos da pele com rompimento de fibras elástica, pele delgada, redução da espessura da derme com fibras colágenas separadas entre si. No centro da lesão há poucas fibras elástica, enquanto na periferia estas, encontram-se onduladas e agrupadas…. (triste!) Mas, essa irreversibilidade atinge as estrias brancas e não (pelo menos ainda) as vermelhas (Ufa!)

Os tratamentos para estrias brancas geralmente  não oferecem cura apenas, “camuflagem” ou “estreitamento” das mesmas melhorando sua aparência em até 80% e deixando-as mais finas e menos perceptíveis ao olho nu.

As vermelhas ainda tem salvação ou controle. Procure um bom especialista para te acompanhar nesse momento. Condutas estéticas mal escolhidas podem gerar resultados insatisfatórios ou até mesmo piorar suas estrias.

Com carinho,

 

Olga 9

 

Olga Vieira

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *